Síndrome da vaca caída

11/09/2016

Sábado de manhã o funcionário me liga pra ter indicações do que fazer com “uma vaca que pariu há pouco, não está levantando”. Isso é tudo de informação que eu tinha e precisava tomar alguma decisão que estivesse dentro do alcance do meu funcionário. Pedi a ele que com a retro utilizasse cinchas e um bigbag levantar a vaca, administrasse 130 mL de cálcio (50%) IV (o correto seria 500 mL, mas eu não tinha isso em casa), oxitetraciclina IM e suplemento energético vitamínico IM. Minha hipótese era de que poderia ser uma retenção de placenta, paralisia do obturador ou hipocalcemia.

Domingo ao entardecer o funcionário avisou que a vaca não tinha levantado ainda. Decidi que iria na segunda-feira para lá e tentar tudo o que eu pudesse.

Meu objetivo agora é revisar o exame clínico para não deixar nenhuma informação ou hipótese passarem desapercebidas.

Exame clínico do sistema musculoesquelético:

Anamnese:

  • idade, estado fisiológico (pós-parto, gestação, animal jovem, multipara, primipara, crescimento, terminação)
  • vacinas: clostridiose, raiva, reprodutivas
  • última desverminação
  • nutrição: forragem, silagem, ração, resteva, deficiencias minerais da região, mineralização
  • ambiente: tipo de solo, época do ano, frequencia de chuvas, confinamento
  • agudo (fraturas) ou crônico (doença degeneratva articular)
  • condição leve ou severa
  • estática ou progressiva
  • manejo: movimentação dos animais, transporte, superpopulação, monta recente
  • registros: taxa de descarte (problemas mais comuns, taxas acima do normal)

Exame clínico geral:

Tentar pensar em alterações de outros sistemas, que podem estar causando problema de claudicação, paresia etc. Outros sistemas importantes de rever são neurológico e relacionados a distúrbios metabólicos.

  • ECC
  • Temperatura retal: 38 °C-39 °C
  • Pulso (medido na artéria caudal, palpável ao longo da linha média da superfície ventral da cauda, de 5-10 cm a partir da base da cauda): vaca adulta 60-80 bpm. (terneiros 80-120 bpm)
  • Estado de consciência
  • Fezes: consistencia, alimentos inteiros
  • TRC:
    • normal: <2 segundos
    • anormal: >5 segundos
    • patologia em desenvolvimento: entre 2 e 5 segundos
  • Membranas mucosas: se em decúbito já avaliar a hidratação e coloração das mucosas ocular, oral e vaginal.

Coloração de membranas mucosas

Rosa salmão Normal
Pálidas Anemia, perda de sangue, hemólise
Amarelada Icterícia
Azulada Cianose (falta de oxigenação ou sangue)
Vermelho vivo Bacteremia, viremia, febre (virus do complexo respiratorio sincicial bovino- BRSV)
Acinzentada (aspecto “sujo”) Toxemia (sobrecarga gástrica, indigestão)
Marrom Intoxicação por nitrato/nitrito (aumento de metahemoglobina)

Possibilidades a serem avaliadas:

  • Síndrome da vaca caída
  • Hiponutrição
  • Verminose
  • Tristeza parasitária bovina
  • Botulismo
  • Raiva
  • BSE

Problemas secundários ao decúbito persistente:

  • isquemia da musculatura do MP (pressão do peso do animal em decúbito)
  • degeneração e necrose muscular (avaliação em niveis de AST e CPK)
  • compressão dos nervos periféricos (lesão desses nervos agrava o processo)
  • escaras de decúbito (mais frequente em articulações femuro-tibio-patelar e escapulo-umeral)
  • Em casos com mais de 3 dias mau prognóstico

Patologias associadas a síndrome da vaca caída e outros diferenciais

  • Paralisia obstétrica
  • Fraturas pélvicas ou em membros pélvicos
  • Mastite tóxica ou aguda
  • Exame vaginal: descartar presença de fetos, fragmentos, metrite tóxica aguda
  • Exame retal: torção uterina, rompimento uterino, nódulos aumentados de tamanho (leucose) e fratura de pélvis
  • Complicações secundárias a hipocalcemia ou a paralisia obstétrica)
  • Complexo de compressão/miorrexis
  • Hipocalemia/hipofosfatemia

Lista de materiais para atendimento:

  • luvas palpação
  • luvas de procedimento
  • cálcio 50% (500 mL por vaca) ou 20% (1L por vaca)
  • glicose 20% ou 50%
  • Ringer lactato (40L)
  • Catosal
  • seringas de 5, 10, 15 e 20 ml
  • equipo macro gotas e cateter IV
  • esparadrapo
  • alça levantadora de ferro

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s