Ovinos

Conhecer a resposta dos animais frente a verminose é um passo importante na compreensão e controle da verminose. O desafio dos ovinos tem sido cada vez maior e está mais do que na hora de modificar a abordagem na luta contra os parasitas, que causam grandes prejuízos para a ovinocultura. A abordagem apresentada a seguir é a chave para o controle de parasitos multi-resistentes, sem que esperemos uma nova molécula da indústria farmacêutica.

Sensibilidade dos Ovinos

A teoria 80-20 classifica os animais de acordo com a resposta frente a exposição parasitária de cada indivíduo em resistentes, resilientes e suscetíveis. Os resistentes não apresentam sinais clínicos e tem baixa infecção com baixa oviposição dos parasitas, os resilientes possuem alta infecção mas não apresentam sinais clínicos por suportarem os efeitos do parasitismo e mantém a produtividade e os suscetíveis são altamente infectados e apresentam sintomatologia clínica. Essa resistência e resiliência dos animais ocorre dependendo da resposta imunológica e fisiológica de cada animal, que são definidas pela genética. Entre os efeitos nos parasitas, podemos citar: a diminuição do estabelecimento das L3, retardo do crescimento dos parasitas, redução na produção de ovos ou a eliminação dos parasitas existentes.

A resposta dos animais frente a verminose também será alterada de acordo com o nível nutricional, idade, estado fisiológico (ovelhas no peri-parto, principalmente), raça e enfermidades associadas, que são fatores ambientais que influenciam inclusive a resposta imune desses animais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s